\\ JORNAL DA MANHÃ \ Polícia

PF combate crimes contra pornografia infantil

Publicada em 15/12/2016.

 

A Polícia Federal deflagrou na manhã de ontem a segunda fase da operação Jizô, que combate crimes de divulgação de pornografia infantil pela internet. Duas pessoas foram presas em flagrante. Uma delas por posse de material pornográfico, e a outra, que não é investigada no caso, por posse de duas armas de fogo.
Ao todo, foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão em Porto Alegre e em Canoas. Nesta segunda fase, dois casos são investigados no Rio Grande do Sul, sendo que um deles foi denunciado a partir da cidade de Itajaí, Santa Catarina, no qual uma adolescente de 13 anos teve fotos íntimas divulgadas em uma rede social.
Conforme a PF, o responsável por publicar as imagens teria sido um jovem de Porto Alegre. Ele mantinha contato com a menor, recebeu as fotos e pediu mais. Como ela se negou, acabou tendo as imagens divulgadas. No outro caso, a Polícia Federal de Brasília indicou que a divulgação de 115 arquivos de imagens contendo pornografia infantil e adolescente foram divulgados a partir de um computador de Canoas. Com a ação desta quarta, os investigadores buscam evidências que comprovem as autorias dos crimes.
A operação, batizada de Jizô, tem nome inspirado em uma divindade budista referida como guardiã das crianças. A primeira fase ocorreu no último mês de abril em três cidades gaúchas. Na ocasião, um funcionário da Secretaria Estadual de Educação do Rio Grande do Sul foi preso em flagrante pela Polícia Federal em São Leopoldo, no Vale do Sinos, por posse e divulgação de material pornográfico infantil.

A Polícia Federal deflagrou na manhã de ontem a segunda fase da operação Jizô, que combate crimes de divulgação de pornografia infantil pela internet. Duas pessoas foram presas em flagrante. Uma delas por posse de material pornográfico, e a outra, que não é investigada no caso, por posse de duas armas de fogo.

Ao todo, foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão em Porto Alegre e em Canoas. Nesta segunda fase, dois casos são investigados no Rio Grande do Sul, sendo que um deles foi denunciado a partir da cidade de Itajaí, Santa Catarina, no qual uma adolescente de 13 anos teve fotos íntimas divulgadas em uma rede social.

Conforme a PF, o responsável por publicar as imagens teria sido um jovem de Porto Alegre. Ele mantinha contato com a menor, recebeu as fotos e pediu mais. Como ela se negou, acabou tendo as imagens divulgadas. No outro caso, a Polícia Federal de Brasília indicou que a divulgação de 115 arquivos de imagens contendo pornografia infantil e adolescente foram divulgados a partir de um computador de Canoas. Com a ação desta quarta, os investigadores buscam evidências que comprovem as autorias dos crimes.

A operação, batizada de Jizô, tem nome inspirado em uma divindade budista referida como guardiã das crianças. A primeira fase ocorreu no último mês de abril em três cidades gaúchas. Na ocasião, um funcionário da Secretaria Estadual de Educação do Rio Grande do Sul foi preso em flagrante pela Polícia Federal em São Leopoldo, no Vale do Sinos, por posse e divulgação de material pornográfico infantil.