\\ JORNAL DA MANHÃ \ Comunidade

Gicai promove Brechó Amigo

Comunidade compareceu em bom número ao brechó
Comunidade compareceu em bom número ao brechó
Publicada em 14/12/2016.

 

O Grupo de Incentivo ao Cuidado com Animais de Ijuí (Gicai) realizou ontem um Brechó Amigo. O Brechó foi realizado nas dependências do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Ijuí, com o objetivo de angariar fundos para comprar material para os animais, ração e atendimento dos veterinários. 
O presidente do Gicai, Alexandre Reichert, cita que a colaboração da comunidade é muito importante para que a entidade possa ter os cuidados com os animais. “É muito importante que as pessoas venham nos ajudar, para que a gente continue com esse trabalho. Esses recursos serão utilizados para fazer uma boa ação, com foco educativo, então, de qualquer forma, 100% dos valores serão revertidos nos animais”, justifica. 
Segundo Alexandre, o Gicai sempre está envolvido em ações sociais, embora ele sugira que por questões particulares o grupo não consiga realizar tantas ações. Ele também fala que a entidade tem auxiliado mais na questão de acumuladores de animais. “São as pessoas que são sacaneadas pela sociedade, que têm animais em grande quantidade, porém, grande parte dos animais não são da pessoa. As pessoas que têm vários animais por compaixão, que aceitam cuidar de mais de um animal, não merecem essa traição”. Ele explica que nessas condições, geralmente o animal está com certa idade e provavelmente doente, algo que dificulta o trabalho do voluntário. O Gicai já castrou mais de 100 animais este ano, com o objetivo de evitar uma proliferação, agravando o problema.
Alexandre ainda lembra que o Gicai pretende manter uma divulgação de seus trabalhos no próximo ano, de forma mais objetiva, podendo aderir a campanhas e eventos, com o objetivo de transformar a realidade. “Não temos condições de achar que o problema dos animais será resolvido com o acúmulo em um ou outro local. Mesmo se a prefeitura tiver um local bacana, não existe esse local de ‘descarte’ que a sociedade acha que existe. O animal é de responsabilidade do dono até o final da vida dele. Se precisar de atendimento, algo especial, é como se fosse um ser humano”. O presidente também fala que a entidade irá fiscalizar os casos de abandono de animais, além de levar às autoridades para que se tenha o devido encaminhamento.

O Grupo de Incentivo ao Cuidado com Animais de Ijuí (Gicai) realizou ontem um Brechó Amigo. O Brechó foi realizado nas dependências do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Ijuí, com o objetivo de angariar fundos para comprar material para os animais, ração e atendimento dos veterinários. 

O presidente do Gicai, Alexandre Reichert, cita que a colaboração da comunidade é muito importante para que a entidade possa ter os cuidados com os animais. “É muito importante que as pessoas venham nos ajudar, para que a gente continue com esse trabalho. Esses recursos serão utilizados para fazer uma boa ação, com foco educativo, então, de qualquer forma, 100% dos valores serão revertidos nos animais”, justifica. 

Segundo Alexandre, o Gicai sempre está envolvido em ações sociais, embora ele sugira que por questões particulares o grupo não consiga realizar tantas ações. Ele também fala que a entidade tem auxiliado mais na questão de acumuladores de animais. “São as pessoas que são sacaneadas pela sociedade, que têm animais em grande quantidade, porém, grande parte dos animais não são da pessoa. As pessoas que têm vários animais por compaixão, que aceitam cuidar de mais de um animal, não merecem essa traição”. Ele explica que nessas condições, geralmente o animal está com certa idade e provavelmente doente, algo que dificulta o trabalho do voluntário. O Gicai já castrou mais de 100 animais este ano, com o objetivo de evitar uma proliferação, agravando o problema.

Alexandre ainda lembra que o Gicai pretende manter uma divulgação de seus trabalhos no próximo ano, de forma mais objetiva, podendo aderir a campanhas e eventos, com o objetivo de transformar a realidade. “Não temos condições de achar que o problema dos animais será resolvido com o acúmulo em um ou outro local. Mesmo se a prefeitura tiver um local bacana, não existe esse local de ‘descarte’ que a sociedade acha que existe. O animal é de responsabilidade do dono até o final da vida dele. Se precisar de atendimento, algo especial, é como se fosse um ser humano”. O presidente também fala que a entidade irá fiscalizar os casos de abandono de animais, além de levar às autoridades para que se tenha o devido encaminhamento.