\\ JORNAL DA MANHÃ \ Educação

Professores estaduais iniciam greve hoje

Teresinha Melo
Teresinha Melo
Publicada em 13/12/2016.

 

A diretora do 31º Núcleo do Cpers de Ijuí Teresinha Melo confirmou ontem que os professores estão mobilizados esta semana e aderem à greve a partir de hoje, que foi indicada em assembleia geral da categoria na última semana. Teresinha informa que ontem à noite mais uma vez saiu de Ijuí um ônibus para participar dos protestos na capital, organizados pela categoria contra o pacote de medidas anunciadas pelo governador Sartori. "Vamos participar do ato chamado Servidores Unificados que reúne todos os setores do Estado com uma concentração no Largo Glênio Peres e depois uma caminhada até o Piratini. Esse ato marca o início da semana de mobilização em que os servidores querem pressionar e tentar sensibilizar os deputados para que eles não votem o pacote que o governador protocolou na Assembleia e deve ir à votação a partir do dia 19", explica a diretora.
Quanto à greve, Teresinha explica que o objetivo é liberar os professores para que possam participar das mobilizações como o acampamento na Praça da Matriz. "Precisamos colocar muita gente lá para fazer essa mobilização e chegar até os deputados para tentar um bom número de deputados que votem contrários ao pacote".
Ela explica que com relação às aulas, cada professor ou funcionário tem a opção de aderir ou não à greve. "Vai depender de cada escola saber quantos de seus professores vão aderir à greve. A direção pode fazer greve, mas a adesão depende de cada professor, não da escola".
Quanto à situação do aluno ir ou não para a escola, a diretora alerta que os pais devem fazer contato direto com a sua escola a partir de hoje porque cada uma terá seus diferenciais quanto a horários, já que ainda não há um levantamento definitivo de quantos propfissionais não estarão em sala de aula. "É importante que se converse com os professores, mas também é imprtante que os pais e os alunos se insiram na luta porque também estamos brigando por eles, uma vez que o governador está diminuindo mais a educação e a previsão é que 2017 seja um ano de mais enxugamento".
A finalização do ano letivo também depende de cada escola para saber se os professores entregarão ou não as notas finais dos alunos. Após as mobilizações em Porto Alegre, o Cpers vai organizar agendas em Ijuí para manter a classe mobilizada. Os professores devem permanecer em greve até a votação ou retirada do pacote de medidas contra a crise financeira no Estado, proposto pelo governador  José Ivo Sartori.

A diretora do 31º Núcleo do Cpers de Ijuí Teresinha Melo confirmou ontem que os professores estão mobilizados esta semana e aderem à greve a partir de hoje, que foi indicada em assembleia geral da categoria na última semana. Teresinha informa que ontem à noite mais uma vez saiu de Ijuí um ônibus para participar dos protestos na capital, organizados pela categoria contra o pacote de medidas anunciadas pelo governador Sartori. "Vamos participar do ato chamado Servidores Unificados que reúne todos os setores do Estado com uma concentração no Largo Glênio Peres e depois uma caminhada até o Piratini. Esse ato marca o início da semana de mobilização em que os servidores querem pressionar e tentar sensibilizar os deputados para que eles não votem o pacote que o governador protocolou na Assembleia e deve ir à votação a partir do dia 19", explica a diretora.

Quanto à greve, Teresinha explica que o objetivo é liberar os professores para que possam participar das mobilizações como o acampamento na Praça da Matriz. "Precisamos colocar muita gente lá para fazer essa mobilização e chegar até os deputados para tentar um bom número de deputados que votem contrários ao pacote".

Ela explica que com relação às aulas, cada professor ou funcionário tem a opção de aderir ou não à greve. "Vai depender de cada escola saber quantos de seus professores vão aderir à greve. A direção pode fazer greve, mas a adesão depende de cada professor, não da escola".

Quanto à situação do aluno ir ou não para a escola, a diretora alerta que os pais devem fazer contato direto com a sua escola a partir de hoje porque cada uma terá seus diferenciais quanto a horários, já que ainda não há um levantamento definitivo de quantos propfissionais não estarão em sala de aula. "É importante que se converse com os professores, mas também é imprtante que os pais e os alunos se insiram na luta porque também estamos brigando por eles, uma vez que o governador está diminuindo mais a educação e a previsão é que 2017 seja um ano de mais enxugamento".

A finalização do ano letivo também depende de cada escola para saber se os professores entregarão ou não as notas finais dos alunos. Após as mobilizações em Porto Alegre, o Cpers vai organizar agendas em Ijuí para manter a classe mobilizada. Os professores devem permanecer em greve até a votação ou retirada do pacote de medidas contra a crise financeira no Estado, proposto pelo governador  José Ivo Sartori.