\\ JORNAL DA MANHÃ \ Rural

Soja tem quase 1 milhão de hectares na região

Publicada em 13/12/2016.

 

O plantio de soja está praticamente concluído nos 45 municípios que integram a macrorregião de Ijuí, onde está o escritório regional da Emater. A informação está contida no informativo conjuntural da entidade, que apontava, no fim da última semana, um total de 90% de área prevista para a soja já semeada.
"Com estas áreas já semeadas, o que é preciso agora é uma regularidade de precipitações. O que tem ocorrido nos últimos anos são períodos longos de estiagem, o que pode comprometer um pouco a produtividade. Até o momento já tivemos chuvas regulares para a germinação e desenvolvimento inicial", avalia o assistente técnico da Emater Regional de Ijuí, Gilberto Bortolini. Com cerca de 970 mil hectares cultivados até agora, a região de Ijuí é a maior produtora de soja do Estado.
A previsão climática para o verão gaúcho é, diferente dos últimos anos, de chuvas regulares, o que pode beneficiar a cultura da soja. "O problema é que a previsão nem sempre se confirma. Se tivermos no máximo 15 dias sem chuvas é possível dizer que não há grande interferência no desenvolvimento das plantas, por isso esperamos chuvas pouco espaçadas", explica Bortolini.

O plantio de soja está praticamente concluído nos 45 municípios que integram a macrorregião de Ijuí, onde está o escritório regional da Emater. A informação está contida no informativo conjuntural da entidade, que apontava, no fim da última semana, um total de 90% de área prevista para a soja já semeada.

"Com estas áreas já semeadas, o que é preciso agora é uma regularidade de precipitações. O que tem ocorrido nos últimos anos são períodos longos de estiagem, o que pode comprometer um pouco a produtividade. Até o momento já tivemos chuvas regulares para a germinação e desenvolvimento inicial", avalia o assistente técnico da Emater Regional de Ijuí, Gilberto Bortolini. Com cerca de 970 mil hectares cultivados até agora, a região de Ijuí é a maior produtora de soja do Estado.

A previsão climática para o verão gaúcho é, diferente dos últimos anos, de chuvas regulares, o que pode beneficiar a cultura da soja. "O problema é que a previsão nem sempre se confirma. Se tivermos no máximo 15 dias sem chuvas é possível dizer que não há grande interferência no desenvolvimento das plantas, por isso esperamos chuvas pouco espaçadas", explica Bortolini.