\\ JORNAL DA MANHÃ \ Esportes

Tri da Libertadores é o novo desafio

Pentacampeão da Copa do Brasil, o Grêmio agora pensa no tri da Libertadores da América. Departamento de Futebol precisa renovar o contrato do técnico Renato Portaluppi
Pentacampeão da Copa do Brasil, o Grêmio agora pensa no tri da Libertadores da América. Departamento de Futebol precisa renovar o contrato do técnico Renato Portaluppi
Publicada em 09/12/2016.

 

Foram 15 anos sem títulos nacionais, mas o Grêmio voltou a conquistar o país quarta-feira, quando empatou com o Atlético-MG por 1 a 1 na partida de volta da final da Copa do Brasil. Empolgado pela conquista e com vaga assegurada na próxima edição da Copa Libertadores, Valdir Espinosa, diretor técnico tricolor, já fala em conquistar o tricampeonato do torneio sul-americano e o bi-Mundial.
“Jogadores comprometidos e torcida maravilhosa. O Renato deu sequência a esse comprometimento, olhou no olho dos jogadores e disse verdades, fez cobranças. A razão era a alegria do torcedor. Nós estávamos envergonhados de ficar 15 anos sem títulos. Falo como torcedor, o Grêmio sempre buscava desculpas. Eu tinha vergonha disso. Isso era o pensamento de todo o torcedor. Agora, a Arena é campeã. No momento não se pode pensar em nada. Peraí, dá sim. Pensar em ser tri da Libertadores e bi Mundial”, disse o dirigente.
Deixando de lado a euforia pelo título, Espinosa comentou sobre a tragédia envolvendo a delegação da Chapecoense, que deixou 71 mortos após a queda de um avião que deveria pousar em Medellín, na Colômbia. Antes do jogo, atletas e torcida fizeram um minuto de silêncio em homenagem às vítimas. Entre os falecidos, Valdir lembrou especialmente de Mário Sérgio, jornalistas e seu atleta na campanha do Mundial de 1983. 
"As pessoas que morreram deixaram histórias lindas a serem contadas. Chapecó é uma cidade maravilhosa. A Chapecoense é um exemplo de administração. A tragédia aconteceu, mas o que fica é o bom exemplo. Mário Sérgio, meu irmão, eu chorei muito, mas hoje lembro e dou risada. Fizeram história”, finalizou.
Depois da conquista da Copa do Brasil, a direção do Grêmio tem um desafio, renovar com Renato Portaluppi. O maior ídolo da história do clube precisa definir sua permanência. O presidente Romildo Bolzan Júnior disse que vai trabalhar para que o treinador fique no Grêmio em 2017. O técnico tem interesse em ficar, mas disse que tudo depende de uma negociação. O procurador de Renato, Gerson Oldenburg, deve se reunir com a direção nos próximos dias.
O vice de futebol Adalberto Preiss revelou que o clube vai em busca de atacantes. Um centroavante é prioridade, principalmente porque Henrique Almeida em momento algum passou confiança.  O departamento de futebol trabalha para manter  o meia Luan que interessa a times europeus.Domingo às 17h na Arena, o Grêmio encerra participação no Brasileirão 2016. Recebe o Botafogo.
Foram 15 anos sem títulos nacionais, mas o Grêmio voltou a conquistar o país quarta-feira, quando empatou com o Atlético-MG por 1 a 1 na partida de volta da final da Copa do Brasil. Empolgado pela conquista e com vaga assegurada na próxima edição da Copa Libertadores, Valdir Espinosa, diretor técnico tricolor, já fala em conquistar o tricampeonato do torneio sul-americano e o bi-Mundial.
“Jogadores comprometidos e torcida maravilhosa. O Renato deu sequência a esse comprometimento, olhou no olho dos jogadores e disse verdades, fez cobranças. A razão era a alegria do torcedor. Nós estávamos envergonhados de ficar 15 anos sem títulos. Falo como torcedor, o Grêmio sempre buscava desculpas. Eu tinha vergonha disso. Isso era o pensamento de todo o torcedor. Agora, a Arena é campeã. No momento não se pode pensar em nada. Peraí, dá sim. Pensar em ser tri da Libertadores e bi Mundial”, disse o dirigente.
Deixando de lado a euforia pelo título, Espinosa comentou sobre a tragédia envolvendo a delegação da Chapecoense, que deixou 71 mortos após a queda de um avião que deveria pousar em Medellín, na Colômbia. Antes do jogo, atletas e torcida fizeram um minuto de silêncio em homenagem às vítimas. Entre os falecidos, Valdir lembrou especialmente de Mário Sérgio, jornalistas e seu atleta na campanha do Mundial de 1983. 
"As pessoas que morreram deixaram histórias lindas a serem contadas. Chapecó é uma cidade maravilhosa. A Chapecoense é um exemplo de administração. A tragédia aconteceu, mas o que fica é o bom exemplo. Mário Sérgio, meu irmão, eu chorei muito, mas hoje lembro e dou risada. Fizeram história”, finalizou.
Depois da conquista da Copa do Brasil, a direção do Grêmio tem um desafio, renovar com Renato Portaluppi. O maior ídolo da história do clube precisa definir sua permanência. O presidente Romildo Bolzan Júnior disse que vai trabalhar para que o treinador fique no Grêmio em 2017. O técnico tem interesse em ficar, mas disse que tudo depende de uma negociação. O procurador de Renato, Gerson Oldenburg, deve se reunir com a direção nos próximos dias.
O vice de futebol Adalberto Preiss revelou que o clube vai em busca de atacantes. Um centroavante é prioridade, principalmente porque Henrique Almeida em momento algum passou confiança.  O departamento de futebol trabalha para manter  o meia Luan que interessa a times europeus.Domingo às 17h na Arena, o Grêmio encerra participação no Brasileirão 2016. Recebe o Botafogo.