\\ JORNAL DA MANHÃ \ Artigo

Razões de Cantar

Publicada em 23/11/2016.

 

De alma simples, jeito franco e paz liberta...Pelo humilde que em mim não silencia...Da singeleza minha alma não esquece...Vejo na vida, a mais bela poesia..
       A enternecedora  canção campeã do  Festival Canto de Luz  deste   ano , “Razões de Cantar” ,  que enfatiza  a importância de se ter prazer , inspiração e alegria pelas coisas simples da vida, vem de encontro a reflexões que o homem faz desde a Grécia antiga,  quando a mitologia deixa espaço para  a razão de um pensamento mais lógico , diante de tantas questões fundamentais da humanidade.
     E o melhor exemplo é Epicuro ( conterrâneo de Aristóteles) grande filósofo  para o qual  o prazer da vida é a arte de saber apreciar as coisas simples, pois a medida que vivemos vamos nos sofisticando mais e perdendo a capacidade de  nos encantar  pela simplicidade , e assim  tornamos a alegria sempre mais  improvável.
     Nesse contexto vale também o alerta do grande psiquiatra Augusto Cury  sobre o perigo de se dar  muitos presentes  aos filhos, que desenvolvem a necessidade de sempre mais para sentir o mesmo prazer.
      Disse Epicuro: Quanto mais molhos e condimentos na comida, mais as papilas são estimuladas e não voltarão ao normal e mais sem sal e sem tempero nos parecerá a comida com o tempo.
    Vida “sem frescura”, agua do bebedouro, arroz com feijão, pão sem nada encima, macarrão com ovo frito, abraçar amigos, apreciar  o crepúsculo sentado na praia ou na colina, vento no rosto , refletir sobre  a vida, contemplar a pessoa querida com a arte de sentir amor com a boa convivência desenvolvida.
     A vida vai nos transformando e nos obriga a coisas que nos impedem de ter o prazer fácil. Mas é imprescindível que não percamos o gosto pelo singelo. Aí está a condição de continuarmos a ter prazer o tempo inteiro!
    Hedonismo de Epicuro é a ética da simplicidade.
Parabéns Canto de Luz pela surpreendente alta qualidade do festival .

De alma simples, jeito franco e paz liberta...Pelo humilde que em mim não silencia...Da singeleza minha alma não esquece...Vejo na vida, a mais bela poesia..

       A enternecedora  canção campeã do  Festival Canto de Luz  deste   ano , “Razões de Cantar” ,  que enfatiza  a importância de se ter prazer , inspiração e alegria pelas coisas simples da vida, vem de encontro a reflexões que o homem faz desde a Grécia antiga,  quando a mitologia deixa espaço para  a razão de um pensamento mais lógico , diante de tantas questões fundamentais da humanidade.

     E o melhor exemplo é Epicuro ( conterrâneo de Aristóteles) grande filósofo  para o qual  o prazer da vida é a arte de saber apreciar as coisas simples, pois a medida que vivemos vamos nos sofisticando mais e perdendo a capacidade de  nos encantar  pela simplicidade , e assim  tornamos a alegria sempre mais  improvável.

     Nesse contexto vale também o alerta do grande psiquiatra Augusto Cury  sobre o perigo de se dar  muitos presentes  aos filhos, que desenvolvem a necessidade de sempre mais para sentir o mesmo prazer.

      Disse Epicuro: Quanto mais molhos e condimentos na comida, mais as papilas são estimuladas e não voltarão ao normal e mais sem sal e sem tempero nos parecerá a comida com o tempo.

    Vida “sem frescura”, agua do bebedouro, arroz com feijão, pão sem nada encima, macarrão com ovo frito, abraçar amigos, apreciar  o crepúsculo sentado na praia ou na colina, vento no rosto , refletir sobre  a vida, contemplar a pessoa querida com a arte de sentir amor com a boa convivência desenvolvida.

     A vida vai nos transformando e nos obriga a coisas que nos impedem de ter o prazer fácil. Mas é imprescindível que não percamos o gosto pelo singelo. Aí está a condição de continuarmos a ter prazer o tempo inteiro!

    Hedonismo de Epicuro é a ética da simplicidade.

Parabéns Canto de Luz pela surpreendente alta qualidade do festival .