\\ JORNAL DA MANHÃ \ COLUNISTA \ Carlos Alberto Padilha

Má fase

Publicada em 08/11/2016.

 

MÁ FASE-A diretoria do Internacional bancou a permanência do técnico Celso Roth. Na chegada da delegação ontem em Porto Alegre após a derrota para o Palmeiras, em São Paulo, o vice de futebol Fernando Carvalho foi o único que falou com os jornalistas repetindo o discurso de remotivação. Admitiu que o grupo está abatido, mas focado em buscar a reabilitação contra a Ponte Preta no próximo dia 17, no Beira-Rio. É sempre o mesmo discurso, de mobilização, de  convocação do torcedor. Os colorados têm comparecido ao Beira-Rio. Estão apoiando sempre, o que não acontece é o time dentro de campo corresponder as expectativas. O técnico Celso Roth tem colaborado para a preocupação dos torcedores aumentar. Tem escalado o time com equívocos. Alex e Anderson juntos no meio-campo deixam a equipe lenta e só Celso Roth não vê isso. As modificações não surtem efeito. Colocar o garoto  Diego no ataque para ser a solução no segundo tempo é jogar o atleta às feras. Insistir com William no meio-campo é um tremendo erro. Domingo por exemplo, não surgiu nenhuma jogada pelos lados do campo, cruzamentos para o atacante, bom na bola aérea. Com o gramado encharcado, uma alternativa seria o cruzamento para a área procurando Aylon. Nem isso o Internacional fez. O meia Alex foi protagonista de um momento de descontrole neste domingo, no Palestra Itália. Após ser substituído durante o segundo tempo da derrota do Inter para o Palmeiras, por 1 a 0, o camisa 12 reagiu mal depois de o massagista Banha lhe oferecer uma garrafa d’água e deu um tapa no objeto. Após esfriar a cabeça, o jogador mostrou arrependimento e pediu desculpas ao profissional colorado.
SELVAGERIA- O Campeonato Municipal de Futsal de Ijuí teve cenas lamentáveis ontem à noite no Ginasião. A equipe Pré-Moldados Dreffs vencia por 4 a 2 o Santa Cruz do Colonial, e quando faltavam 44 segundos para o encerramento do jogo pela Divisão Única, uma briga generalizada envolveu os atletas, com invasão de quadra, utiilização de extintores e lixeiras como armas e depredação do patrimônio público. A pancadaria assustou os torcedores que estavam no Ginasião. A arbitragem acabou interrompendo o jogo e as partidas na sequência foram canceladas. A Coordenadoria de Esportes promete tomar uma providência nesta terça-feira.

A diretoria do Internacional bancou a permanência do técnico Celso Roth. Na chegada da delegação ontem em Porto Alegre após a derrota para o Palmeiras, em São Paulo, o vice de futebol Fernando Carvalho foi o único que falou com os jornalistas repetindo o discurso de remotivação. Admitiu que o grupo está abatido, mas focado em buscar a reabilitação contra a Ponte Preta no próximo dia 17, no Beira-Rio. É sempre o mesmo discurso, de mobilização, de  convocação do torcedor. Os colorados têm comparecido ao Beira-Rio. Estão apoiando sempre, o que não acontece é o time dentro de campo corresponder as expectativas. O técnico Celso Roth tem colaborado para a preocupação dos torcedores aumentar. Tem escalado o time com equívocos. Alex e Anderson juntos no meio-campo deixam a equipe lenta e só Celso Roth não vê isso. As modificações não surtem efeito. Colocar o garoto  Diego no ataque para ser a solução no segundo tempo é jogar o atleta às feras. Insistir com William no meio-campo é um tremendo erro. Domingo por exemplo, não surgiu nenhuma jogada pelos lados do campo, cruzamentos para o atacante, bom na bola aérea. Com o gramado encharcado, uma alternativa seria o cruzamento para a área procurando Aylon. Nem isso o Internacional fez. O meia Alex foi protagonista de um momento de descontrole neste domingo, no Palestra Itália. Após ser substituído durante o segundo tempo da derrota do Inter para o Palmeiras, por 1 a 0, o camisa 12 reagiu mal depois de o massagista Banha lhe oferecer uma garrafa d’água e deu um tapa no objeto. Após esfriar a cabeça, o jogador mostrou arrependimento e pediu desculpas ao profissional colorado.

SELVAGERIA- O Campeonato Municipal de Futsal de Ijuí teve cenas lamentáveis ontem à noite no Ginasião. A equipe Pré-Moldados Dreffs vencia por 4 a 2 o Santa Cruz do Colonial, e quando faltavam 44 segundos para o encerramento do jogo pela Divisão Única, uma briga generalizada envolveu os atletas, com invasão de quadra, utiilização de extintores e lixeiras como armas e depredação do patrimônio público. A pancadaria assustou os torcedores que estavam no Ginasião. A arbitragem acabou interrompendo o jogo e as partidas na sequência foram canceladas. A Coordenadoria de Esportes promete tomar uma providência nesta terça-feira.