\\ JORNAL DA MANHÃ \ COLUNISTA \ Marcelo Blume

Colhe-se o que se planta

Publicada em 04/11/2016.

 

O que se vive é resultado direto ou indireto de nossas ações ao longo da vida, portanto, colhe-se o que se planta. Ações conduzem a resultados, sendo que os sentimentos conduzem as ações, considerando ainda que os pensamentos são originados nos sentimentos. 
A vida que temos, é em boa parte o que direta e indiretamente escolhemos, mesmo que sem a consciência sobre o que cada uma das ações geraria ou gerará de resultados em nossa vida. Quando olhamos para trás, há coisas de que nos arrependemos, de decisões equivocadas considerando os resultados ou efeitos que queríamos. Todavia, o conjunto de variáveis é tão grande, que são vários os caminhos que podem nos levar onde queremos, pois o mais importante é saber ter objetivos bem claros.   
Nosso dia a dia é cheio de negociações, concessões, decisões, que pequenas ou grandes, vão moldando a vida. Estudar, trabalhar, curtir melhor as alegrias da vida, assim como a forma como vamos nos relacionando com aqueles com quem nos encontramos durante a caminhada representam um conjunto comparável a uma plantação feita ao longo da vida, que vai permitindo, e em alguns casos obrigando, colheitas dos seus resultados que moldam a vida como um todo. 
Responsabilizar entidades, concorrentes, colegas, adversários, governos, pelos resultados indesejáveis da vida pessoal, ou profissional, da instituição ou da empresa que dirigem alivia a responsabilidade de muita gente, reduzindo sensivelmente a culpa, o arrependimento, mas não gera aprendizado para si, nem para os sucessores. 
Colhem melhores frutos aqueles que não perdem tempo reclamando do azar, que não ficam com pena de si mesmos e que não culpam os outros pelos efeitos indesejáveis de sua vida. Quem corre atrás das metas e objetivos bem definidos e preferencialmente coletivos, acordando todos os dias sabendo o quer e o que precisa fazer, vai colher frutos como aquele que planta corretamente e cuida bem de todas as etapas do cultivo.
Quem conquista e ganha antes de gastar, quem procura fazer uma diferença positiva onde estiver e para as pessoas ao seu redor, assim como quem sabe amar a quem lhe dá amor, vai colher melhores frutos como aquele que sabe plantar e cultivar uma boa cultura. Aquele que sabe cultivar boas relações, que procura descobrir novas formas de resolver antigos problemas, que consegue compartilhar o que tem de bom a sua volta, cuida bem do corpo e da mente, investe no seu desenvolvimento pessoal e profissional, consegue viver mais feliz e proporcionar melhores condições de gerar felicidade ao seu redor.
Cada situação vivida requer um nível de superação, onde superar o ímpeto da transferência da responsabilidade do que não se deseja, para outros é uma das necessidades mais importantes para uma vida melhor e com melhores efeitos no que fazemos ou deixamos de fazer.
Um abraço, com o desejo de felicidades e até a próxima! 

O que se vive é resultado direto ou indireto de nossas ações ao longo da vida, portanto, colhe-se o que se planta. Ações conduzem a resultados, sendo que os sentimentos conduzem as ações, considerando ainda que os pensamentos são originados nos sentimentos. 

A vida que temos, é em boa parte o que direta e indiretamente escolhemos, mesmo que sem a consciência sobre o que cada uma das ações geraria ou gerará de resultados em nossa vida. Quando olhamos para trás, há coisas de que nos arrependemos, de decisões equivocadas considerando os resultados ou efeitos que queríamos. Todavia, o conjunto de variáveis é tão grande, que são vários os caminhos que podem nos levar onde queremos, pois o mais importante é saber ter objetivos bem claros.   

Nosso dia a dia é cheio de negociações, concessões, decisões, que pequenas ou grandes, vão moldando a vida. Estudar, trabalhar, curtir melhor as alegrias da vida, assim como a forma como vamos nos relacionando com aqueles com quem nos encontramos durante a caminhada representam um conjunto comparável a uma plantação feita ao longo da vida, que vai permitindo, e em alguns casos obrigando, colheitas dos seus resultados que moldam a vida como um todo. 

Responsabilizar entidades, concorrentes, colegas, adversários, governos, pelos resultados indesejáveis da vida pessoal, ou profissional, da instituição ou da empresa que dirigem alivia a responsabilidade de muita gente, reduzindo sensivelmente a culpa, o arrependimento, mas não gera aprendizado para si, nem para os sucessores. 

Colhem melhores frutos aqueles que não perdem tempo reclamando do azar, que não ficam com pena de si mesmos e que não culpam os outros pelos efeitos indesejáveis de sua vida. Quem corre atrás das metas e objetivos bem definidos e preferencialmente coletivos, acordando todos os dias sabendo o quer e o que precisa fazer, vai colher frutos como aquele que planta corretamente e cuida bem de todas as etapas do cultivo.

Quem conquista e ganha antes de gastar, quem procura fazer uma diferença positiva onde estiver e para as pessoas ao seu redor, assim como quem sabe amar a quem lhe dá amor, vai colher melhores frutos como aquele que sabe plantar e cultivar uma boa cultura. Aquele que sabe cultivar boas relações, que procura descobrir novas formas de resolver antigos problemas, que consegue compartilhar o que tem de bom a sua volta, cuida bem do corpo e da mente, investe no seu desenvolvimento pessoal e profissional, consegue viver mais feliz e proporcionar melhores condições de gerar felicidade ao seu redor.

Cada situação vivida requer um nível de superação, onde superar o ímpeto da transferência da responsabilidade do que não se deseja, para outros é uma das necessidades mais importantes para uma vida melhor e com melhores efeitos no que fazemos ou deixamos de fazer.

Um abraço, com o desejo de felicidades e até a próxima!