\\ JORNAL DA MANHÃ \ COLUNISTA \ Carlos Alberto Padilha

Manutenção

Publicada em 06/10/2016.

 

MANUTENÇÃO- Com muitas mudanças, a Seleção Brasileira enfrenta a Bolívia hoje em Natal pelas Eliminatórias Sul-Americanas ao Mundial de 2018 na Rússia. Um time modificado em relação àquele que venceu a Colômbia tem o desafio de manter os 100% de aproveitamento desde que Tite substituiu Dunga. A entrada de Philipe Coutinho na vaga de William era aguardada, pois o meia do Chelsea não vinha jogando bem na Seleção Brasileira. Coutinho entrou no transcorrer dos jogos diante do Equador e Colômbia e mudou a cara do time brasileiro. Filipe Luis por Marcelo é uma troca normal na lateral-esquerda mesmo que o jogador do Real Madrid seja superior, mas a mudança com a entrada do meia Giuliano no lugar do volante Paulinho suspenso rende análises. O jogador que recentemente defendeu o Grêmio e vive grande momento no exterior é um meia mais avançado, marca sim, mas tem características ofensivas, tanto que é um dos artilheiros do Zenit da Rússia. Fernandinho será o primeiro volante na vaga de Casemiro. O jogador do Manchester City atravessa grande fase sob o comando de Pep Guardiola e volta a ser respeitado na Seleção após os 7 a 1 da Alemanha na Copa de 2014. O temor com relação ao jogo de hoje não é quanto à qualidade do time boliviano, oitavo colocado das Eliminatórias com sete pontos, mas sim com  relação ao entrosamento do Brasil que treinou pouco na mesma formatação tática, mas com jogadores diferentes.
COLORADO-Celso Roth manterá o esquema e a base da escalação do Inter. Foram quase 30 jogadores diferentes e agora sim será mantida a estrutura de time que venceu o Figueirense no último sábado. Nessa semana, o Inter buscou trabalhos de motivação envolvendo comissão técnica, direção e jogadores. A metodologia  ligada à neurociência e à neurolinguística. Toda a ajuda é válida, mas se não existir qualidade em campo dificilmente a equipe atingirá seus objetivos. Sábado contra o Figueirense, por exemplo, o time marcou o gol cedo, com Vitinho aos quatro minutos do primeiro tempo e depois permitiu o crescimento do adversário. Se não jogar diante do Coritiba com organização tática e muita raça, não ganhará.

Com muitas mudanças, a Seleção Brasileira enfrenta a Bolívia hoje em Natal pelas Eliminatórias Sul-Americanas ao Mundial de 2018 na Rússia. Um time modificado em relação àquele que venceu a Colômbia tem o desafio de manter os 100% de aproveitamento desde que Tite substituiu Dunga. A entrada de Philipe Coutinho na vaga de William era aguardada, pois o meia do Chelsea não vinha jogando bem na Seleção Brasileira. Coutinho entrou no transcorrer dos jogos diante do Equador e Colômbia e mudou a cara do time brasileiro. Filipe Luis por Marcelo é uma troca normal na lateral-esquerda mesmo que o jogador do Real Madrid seja superior, mas a mudança com a entrada do meia Giuliano no lugar do volante Paulinho suspenso rende análises. O jogador que recentemente defendeu o Grêmio e vive grande momento no exterior é um meia mais avançado, marca sim, mas tem características ofensivas, tanto que é um dos artilheiros do Zenit da Rússia. Fernandinho será o primeiro volante na vaga de Casemiro. O jogador do Manchester City atravessa grande fase sob o comando de Pep Guardiola e volta a ser respeitado na Seleção após os 7 a 1 da Alemanha na Copa de 2014. O temor com relação ao jogo de hoje não é quanto à qualidade do time boliviano, oitavo colocado das Eliminatórias com sete pontos, mas sim com  relação ao entrosamento do Brasil que treinou pouco na mesma formatação tática, mas com jogadores diferentes.

COLORADO-Celso Roth manterá o esquema e a base da escalação do Inter. Foram quase 30 jogadores diferentes e agora sim será mantida a estrutura de time que venceu o Figueirense no último sábado. Nessa semana, o Inter buscou trabalhos de motivação envolvendo comissão técnica, direção e jogadores. A metodologia  ligada à neurociência e à neurolinguística. Toda a ajuda é válida, mas se não existir qualidade em campo dificilmente a equipe atingirá seus objetivos. Sábado contra o Figueirense, por exemplo, o time marcou o gol cedo, com Vitinho aos quatro minutos do primeiro tempo e depois permitiu o crescimento do adversário. Se não jogar diante do Coritiba com organização tática e muita raça, não ganhará.