\\ JORNAL DA MANHÃ \ COLUNISTA \ Marcelo Blume

Gerência ou liderança?

Publicada em 26/08/2016.

 

Caminhamos a passos largos para um mundo com cada vez mais oportunidades de negócios e muito trabalho, porém, com menos emprego. Muita gente ainda não se deu conta disso, incluindo entidades de classe, mas valorizar e desenvolver a iniciativa, o empreendedorismo e a liderança é fundamental. Compartilho a frase do grande líder, pensador e empreendedor Henry Ford “Unir-se é um bom começo, manter a união é um progresso, e trabalhar em conjunto é a vitória." 
Muitos e excelentes projetos de negócio deixam de se tornar realidade em função das  dificuldades que algumas pessoas tem de buscar sócios, apoiadores e parceiros. A habilidade de trabalhar coletivamente, também deve fazer parte das competências de um empreendedor e de um líder.
Ouve-se seguidamente o quanto é difícil ser reconhecido nos grupos de trabalho, na empresa, no município e, na região, Estado e País, nem se fala! Sou um admirador de escritos de Jack Welch, que foi reconhecido como o executivo do século XX, enquanto presidente da GE (General Eletric) durante os anos 2000, empresa fundada por ninguém menos do que Thomas Edison.
Ao ser perguntado como obteve tão bons resultados numa empresa centenária como a GE, para ser escolhido o melhor executivo em todo o mundo entre os anos de 1900 e 2000, Jack Welch responde que antes de gerenciar é preciso liderar! Algumas outras lições deste grande líder empresarial também são muito importantes, como: 
- Não fique preso somente aos números, priorize também a conversa sobre os valores da empresa;
- Compartilhe a visão de progresso, despertando todos para ver as oportunidades;
- Desenvolva, pratique e estimule a visão clara, simples, baseada na realidade, visando as transformações e as mudanças que voltem-se para a satisfação dos clientes e que despertem paixão pela excelência! Isto tem uma energia enorme;
- Trate mais das pessoas, não somente dos números. Invista na capacitação das pessoas e use o cérebro dos seus colaboradores, não apenas suas mãos, braços e pernas; 
- Incentive e capture as melhores ideias investindo até que tenham sido compreendidas por toda equipe;
- Não complique as coisas! Enfrente a realidade e evite as ciladas de imaginar coisas que não são reais;
- Seja ágil nas decisões! Faça comunicação direta e rápida, agindo mais rápido ainda;
- Conheça cada vez mais os seus clientes. Tudo resulta em gastar menos tempo, menos revisões, menos trâmites burocratas, pois a velocidade é o ingrediente indispensável da competitividade;
- A energia dos seus colaboradores deve ser voltada para o mercado e para a atenção aos clientes mais exigentes;
- Apresente os produtos ao mercado com maior rapidez para obter as respostas dos clientes cada vez mais depressa;
- Derrube as fronteiras (barreiras, complicações) que aparecerem, nunca desistindo de um projeto porque alguém disse que “não dá”;
- A produtividade não melhora sob pressão, pois é o capital intelectual que gera a produtividade e lucratividade e com eles a capacidade infinita para melhorar algo;
- Cresça em 3 sentidos: velocidade, simplicidade, autoconfiança.
Se você quer ser mais competitivo, pense nas ideias de Jack Welch. Um abraço e até a próxima.

Caminhamos a passos largos para um mundo com cada vez mais oportunidades de negócios e muito trabalho, porém, com menos emprego. Muita gente ainda não se deu conta disso, incluindo entidades de classe, mas valorizar e desenvolver a iniciativa, o empreendedorismo e a liderança é fundamental. Compartilho a frase do grande líder, pensador e empreendedor Henry Ford “Unir-se é um bom começo, manter a união é um progresso, e trabalhar em conjunto é a vitória." 

Muitos e excelentes projetos de negócio deixam de se tornar realidade em função das  dificuldades que algumas pessoas tem de buscar sócios, apoiadores e parceiros. A habilidade de trabalhar coletivamente, também deve fazer parte das competências de um empreendedor e de um líder.

Ouve-se seguidamente o quanto é difícil ser reconhecido nos grupos de trabalho, na empresa, no município e, na região, Estado e País, nem se fala! Sou um admirador de escritos de Jack Welch, que foi reconhecido como o executivo do século XX, enquanto presidente da GE (General Eletric) durante os anos 2000, empresa fundada por ninguém menos do que Thomas Edison.

Ao ser perguntado como obteve tão bons resultados numa empresa centenária como a GE, para ser escolhido o melhor executivo em todo o mundo entre os anos de 1900 e 2000, Jack Welch responde que antes de gerenciar é preciso liderar! Algumas outras lições deste grande líder empresarial também são muito importantes, como: 

- Não fique preso somente aos números, priorize também a conversa sobre os valores da empresa;

- Compartilhe a visão de progresso, despertando todos para ver as oportunidades;

- Desenvolva, pratique e estimule a visão clara, simples, baseada na realidade, visando as transformações e as mudanças que voltem-se para a satisfação dos clientes e que despertem paixão pela excelência! Isto tem uma energia enorme;

- Trate mais das pessoas, não somente dos números. Invista na capacitação das pessoas e use o cérebro dos seus colaboradores, não apenas suas mãos, braços e pernas; 

- Incentive e capture as melhores ideias investindo até que tenham sido compreendidas por toda equipe;

- Não complique as coisas! Enfrente a realidade e evite as ciladas de imaginar coisas que não são reais;

- Seja ágil nas decisões! Faça comunicação direta e rápida, agindo mais rápido ainda;

- Conheça cada vez mais os seus clientes. Tudo resulta em gastar menos tempo, menos revisões, menos trâmites burocratas, pois a velocidade é o ingrediente indispensável da competitividade;

- A energia dos seus colaboradores deve ser voltada para o mercado e para a atenção aos clientes mais exigentes;

- Apresente os produtos ao mercado com maior rapidez para obter as respostas dos clientes cada vez mais depressa;

- Derrube as fronteiras (barreiras, complicações) que aparecerem, nunca desistindo de um projeto porque alguém disse que “não dá”;

- A produtividade não melhora sob pressão, pois é o capital intelectual que gera a produtividade e lucratividade e com eles a capacidade infinita para melhorar algo;

- Cresça em 3 sentidos: velocidade, simplicidade, autoconfiança.

Se você quer ser mais competitivo, pense nas ideias de Jack Welch. Um abraço e até a próxima.