\\ JORNAL DA MANHÃ \ COLUNISTA \ Armindo Pydd

Procura-se coerência

Publicada em 08/08/2016.

 

**Está servido o prato eleitoral. Pode ser indigesto para muitos ou saboroso para outros. Terminou a tarefa dos cozinheiros de candidaturas. Quem procura coerência nas eleições municipais perde o seu tempo. O que acontece em Brasília ou em Porto Alegre. As ideologias, os programas partidários, nada disto importa na eleição municipal. Que é a mais emocionante de todas. Onde todos se conhecem. Palavras como preservar o que é bom e modificar o que está mal, ou então renovação, novas ideias, novas pessoas estarão nos discursos. Agora é ver como será o voto.
**Walter Russel Mead, professor de relações internacionais da Un. Brand de Nova York faz análises que trazem ânimo para quem vive no Brasil. Diz ele entre outras coisas. “O Brasil passa por um processo institucional já experimentado por países desenvolvidos. No século 19, nos EUA, os jornais publicavam anúncios que diziam qual era o preço do voto. Só depois de muito tempo a vida politica entrou em harmonia com as instituições.”
** “A corrupção era a forma normal de fazer as coisas no Brasil. Executivos de empresas estrangeiras estão animados com mudanças, E melhor ainda, os problemas estão sendo resolvidos pelas vias institucionais, sem revolução.” Para quem está desanimado com a situação, são evidências de que a Lava-Jato está dando resultado sim.
**A premiação para os campeões das diversas modalidades nas Olimpíadas são medalhas de ouro, prata e bronze. A honra maior é a honra de representar seu país.  Muitos atletas profissionais já multimilionários não virão para as olimpíadas. As desculpas são lesões, repouso necessário ou a Zika.  Na verdade, se houvesse prêmios milionários, as decisões seriam diferentes. Ou não?
**Agora é aproveitar as olimpíadas. As despesas foram feitas. Os benefícios serão basicamente para o RJ. Mas o país inteiro pagará as contas e estará no foco. Pode ser acima de nossas capacidades sim, nenhum outro país da América do Sul até hoje enfrentou este desafio.
**60, 40. Esta é a equação para viabilizar os hospitais. 60% de pacientes SUS e 40% de pacientes de convênios, particular, planos saúde, etc. O próprio ministro da saúde endossa isto. Mas a realidade é diferente. Aqui em Ijuí, nos hospitais que atendem SUS pelo país inteiro hoje temos 80%SUS e 20% não SUS. E a crise está generalizada.
**Já é grande o numero de cursos e faculdades públicas espalhadas em cidades de nossa região. Mais um complicador para as instituições comunitárias como a UNIJUI sobreviverem.
**3 de cada 4 adolescentes  em Cuba, quando grávidas,  fazem aborto. Que é legalizado neste país. Isto explicaria também o baixo índice de  mortalidade infantil neste pais. Onde a população está diminuindo. É um cruel método de planejamento familiar.
**Mais um ex-atleta morre de Hepatite. Agora é Vacaria. Lembro-me dos tempos que não vão longe em que não se conhecia a hepatite C. E que atletas em geral usavam corriqueiramente Thiaminose ou Glucoenergam na veia com seringas de vidro e agulhas não descartadas e um contaminava o outro. E isto desde os times amadores ate a seleção brasileira.
**Na Letônia vivem as mulheres mais altas do mundo. As brasileiras estão na classificação 71.  E importante isto?
**Está servido o prato eleitoral. Pode ser indigesto para muitos ou saboroso para outros. Terminou a tarefa dos cozinheiros de candidaturas. Quem procura coerência nas eleições municipais perde o seu tempo. O que acontece em Brasília ou em Porto Alegre. As ideologias, os programas partidários, nada disto importa na eleição municipal. Que é a mais emocionante de todas. Onde todos se conhecem. Palavras como preservar o que é bom e modificar o que está mal, ou então renovação, novas ideias, novas pessoas estarão nos discursos. Agora é ver como será o voto.
**Walter Russel Mead, professor de relações internacionais da Un. Brand de Nova York faz análises que trazem ânimo para quem vive no Brasil. Diz ele entre outras coisas. “O Brasil passa por um processo institucional já experimentado por países desenvolvidos. No século 19, nos EUA, os jornais publicavam anúncios que diziam qual era o preço do voto. Só depois de muito tempo a vida politica entrou em harmonia com as instituições.”
** “A corrupção era a forma normal de fazer as coisas no Brasil. Executivos de empresas estrangeiras estão animados com mudanças, E melhor ainda, os problemas estão sendo resolvidos pelas vias institucionais, sem revolução.” Para quem está desanimado com a situação, são evidências de que a Lava-Jato está dando resultado sim.
**A premiação para os campeões das diversas modalidades nas Olimpíadas são medalhas de ouro, prata e bronze. A honra maior é a honra de representar seu país.  Muitos atletas profissionais já multimilionários não virão para as olimpíadas. As desculpas são lesões, repouso necessário ou a Zika.  Na verdade, se houvesse prêmios milionários, as decisões seriam diferentes. Ou não?
**Agora é aproveitar as olimpíadas. As despesas foram feitas. Os benefícios serão basicamente para o RJ. Mas o país inteiro pagará as contas e estará no foco. Pode ser acima de nossas capacidades sim, nenhum outro país da América do Sul até hoje enfrentou este desafio.
**60, 40. Esta é a equação para viabilizar os hospitais. 60% de pacientes SUS e 40% de pacientes de convênios, particular, planos saúde, etc. O próprio ministro da saúde endossa isto. Mas a realidade é diferente. Aqui em Ijuí, nos hospitais que atendem SUS pelo país inteiro hoje temos 80%SUS e 20% não SUS. E a crise está generalizada.
**Já é grande o numero de cursos e faculdades públicas espalhadas em cidades de nossa região. Mais um complicador para as instituições comunitárias como a UNIJUI sobreviverem.
**3 de cada 4 adolescentes  em Cuba, quando grávidas,  fazem aborto. Que é legalizado neste país. Isto explicaria também o baixo índice de  mortalidade infantil neste pais. Onde a população está diminuindo. É um cruel método de planejamento familiar.
**Mais um ex-atleta morre de Hepatite. Agora é Vacaria. Lembro-me dos tempos que não vão longe em que não se conhecia a hepatite C. E que atletas em geral usavam corriqueiramente Thiaminose ou Glucoenergam na veia com seringas de vidro e agulhas não descartadas e um contaminava o outro. E isto desde os times amadores ate a seleção brasileira.
**Na Letônia vivem as mulheres mais altas do mundo. As brasileiras estão na classificação 71.  E importante isto?