\\ JORNAL DA MANHÃ \ COLUNISTA \ Renato Marsiglia

Inter escapou do pior

Publicada em 26/07/2016.

 

INTER ESCAPOU DO PIOR
Foi uma apresentação cheia de defeitos, em que a defesa vazou, o meio-de-campo não criou e o ataque acabou sendo inoperante. No contexto do time no campeonato não foi um bom resultado, mas no contexto do jogo, o Inter "achou" um empate num jogo em que escapou inclusive de ser goleado não acontecessem os erros grosseiros da arbitragem. Foram dois pênaltis claros e um gol legítimo sonegados para a Ponte Preta. O time de Campinas foi literalmente operado sem anestesia.
FALCÃO:
TRABALHO ÁRDUO
Não será fácil para o novo treinador arrumar o time em meio à competição, mesmo considerando os reforços que estão chegando. É como trocar pneu com o carro andando. A seqüência de jogos nas próximas quatro rodadas é espinhosa e nunca é bom esquecer que o Inter está a oito pontos do G-4 e a apenas quatro pontos do Z-4. Afastar o fantasma de ficar trocando e-mail com a Série B já na metade do campeonato é o primeiro passo. Tudo o que vier depois, é lucro.
GRÊMIO VENCE SOBRANDO
O time de Roger Machado ganhou sobrando em termos de futebol, apesar do resulto mínimo. Não fosse o goleiro são-paulino e teria havido uma goleada na Arena, enquanto Marcelo Grohe foi expectador privilegiado da partida. O Grêmio fez uma ótima partida, sendo impossível dizer quem foi o melhor em campo. Negueba estreou bem, mas não tem o perfil de Giuliano. É jogador de flanco e Roger terá que recompor o meio-de-campo. Bolaños também jogou bem e Jailson não pode sair mais do time.
MOMENTO DE CHEGADA
Mesmo não tendo jogo jogado neste Brasileirão, o Grêmio tem uma seqüência de jogos bem amena até o final do turno: América-MG (F), Santa Cruz (C) e Botafogo (F). Terá que fazer no mínimo seis pontos para se manter colado aos lideres. O problema é que tem sido justamente contra os times menos qualificados que o Tricolor vem se enredando e deixado pontos preciosos. O fato de jogarem fechados dificulta, mas para lutar pelo título, não pode perder os chamados "pontos irrecuperáveis".

Foi uma apresentação cheia de defeitos, em que a defesa vazou, o meio-de-campo não criou e o ataque acabou sendo inoperante. No contexto do time no campeonato não foi um bom resultado, mas no contexto do jogo, o Inter "achou" um empate num jogo em que escapou inclusive de ser goleado não acontecessem os erros grosseiros da arbitragem. Foram dois pênaltis claros e um gol legítimo sonegados para a Ponte Preta. O time de Campinas foi literalmente operado sem anestesia.

FALCÃO:

TRABALHO ÁRDUO

Não será fácil para o novo treinador arrumar o time em meio à competição, mesmo considerando os reforços que estão chegando. É como trocar pneu com o carro andando. A seqüência de jogos nas próximas quatro rodadas é espinhosa e nunca é bom esquecer que o Inter está a oito pontos do G-4 e a apenas quatro pontos do Z-4. Afastar o fantasma de ficar trocando e-mail com a Série B já na metade do campeonato é o primeiro passo. Tudo o que vier depois, é lucro.

GRÊMIO VENCE SOBRANDO

O time de Roger Machado ganhou sobrando em termos de futebol, apesar do resulto mínimo. Não fosse o goleiro são-paulino e teria havido uma goleada na Arena, enquanto Marcelo Grohe foi expectador privilegiado da partida. O Grêmio fez uma ótima partida, sendo impossível dizer quem foi o melhor em campo. Negueba estreou bem, mas não tem o perfil de Giuliano. É jogador de flanco e Roger terá que recompor o meio-de-campo. Bolaños também jogou bem e Jailson não pode sair mais do time.

MOMENTO DE CHEGADA

Mesmo não tendo jogo jogado neste Brasileirão, o Grêmio tem uma seqüência de jogos bem amena até o final do turno: América-MG (F), Santa Cruz (C) e Botafogo (F). Terá que fazer no mínimo seis pontos para se manter colado aos lideres. O problema é que tem sido justamente contra os times menos qualificados que o Tricolor vem se enredando e deixado pontos preciosos. O fato de jogarem fechados dificulta, mas para lutar pelo título, não pode perder os chamados "pontos irrecuperáveis".