\\ JORNAL DA MANHÃ \ Região

Casos de Dengue colocam municípios em alerta

Força-tarefa foi montada por agentes de saúde para evitar novos focos
Força-tarefa foi montada por agentes de saúde para evitar novos focos
Publicada em 18/03/2015.

 

O aumento da dengue no Estado preocupa as autoridades de saúde. Pelo menos 22 cidades registraram casos da doença este ano. Caibaté, na Região das Missões, teve nove pessoas infectadas em apenas uma semana e outras 73 estão com suspeita da doença.
A doméstica Darci Correa dos Santos foi uma das primeiras pessoas a apresentar os sintomas da doença. No último sábado, ela ganhou alta do hospital, mas ainda sente um pouco de fraqueza. “Muita dor de cabeça, ferroada em todo o corpo e muita febre”, relata.
Segundo a Secretaria de Saúde de Caibaté, são nove casos autóctones, ou seja, contraídos dentro do município de apenas 5 mil habitantes. Em apenas uma semana e meia, foram cerca de 80 notificações entre casos suspeitos e confirmados.
No hospital da cidade, os leitos estão todos ocupados e camas extras são preparadas para receber novos pacientes. “A procura do hospital pelos pacientes com sintomas e diagnóstico já confirmado de dengue é cada dia maior”, atesta a enfermeira Ronise Cattelam.
Uma força-tarefa foi montada por agentes de saúde para evitar novos focos de transmissão da dengue. Eles encontraram muitas larvas do mosquito transmissor nas casas, principalmente em reservatórios para coletar água da chuva. “O agente vai lá e informa, mas que tem que cuidar das caixas d’água, do seu potinho de flor, enfim, é o proprietário da casa”, diz a secretária da Saúde, Ivanês Knapp.
Conforme o último relatório da Secretaria Estadual da Saúde, 210 casos de dengue foram notificados e 26 confirmados no Rio Grande Sul em 2015. No ano passado, foram registrados 87 casos da doença no Estado.

O aumento da dengue no Estado preocupa as autoridades de saúde. Pelo menos 22 cidades registraram casos da doença este ano. Caibaté, na Região das Missões, teve nove pessoas infectadas em apenas uma semana e outras 73 estão com suspeita da doença.

A doméstica Darci Correa dos Santos foi uma das primeiras pessoas a apresentar os sintomas da doença. No último sábado, ela ganhou alta do hospital, mas ainda sente um pouco de fraqueza. “Muita dor de cabeça, ferroada em todo o corpo e muita febre”, relata.

Segundo a Secretaria de Saúde de Caibaté, são nove casos autóctones, ou seja, contraídos dentro do município de apenas 5 mil habitantes. Em apenas uma semana e meia, foram cerca de 80 notificações entre casos suspeitos e confirmados.

No hospital da cidade, os leitos estão todos ocupados e camas extras são preparadas para receber novos pacientes. “A procura do hospital pelos pacientes com sintomas e diagnóstico já confirmado de dengue é cada dia maior”, atesta a enfermeira Ronise Cattelam.

Uma força-tarefa foi montada por agentes de saúde para evitar novos focos de transmissão da dengue. Eles encontraram muitas larvas do mosquito transmissor nas casas, principalmente em reservatórios para coletar água da chuva. “O agente vai lá e informa, mas que tem que cuidar das caixas d’água, do seu potinho de flor, enfim, é o proprietário da casa”, diz a secretária da Saúde, Ivanês Knapp.

Conforme o último relatório da Secretaria Estadual da Saúde, 210 casos de dengue foram notificados e 26 confirmados no Rio Grande Sul em 2015. No ano passado, foram registrados 87 casos da doença no Estado.